Você sabe o que é crupe?








O crupe é uma infecção viral contagiosa dos canais respiratórios superiores que provoca dificuldade em respirar, sobretudo ao inspirar.

O crupe pode ser causado por muitos vírus diferentes. No Outono, o vírus parainfluenza é a causa mais provável. Com menor frequência, o crupe pode ser causado pelo vírus do sarampo ou por outros vírus, como o sincicial respiratório ou o da gripe, sobretudo durante o Inverno e a Primavera. O crupe afecta principalmente crianças entre os 6 meses e os 3 anos de idade, embora ocasionalmente afecte crianças mais pequenas ou as mais velhas. O crupe provocado pelo vírus da gripe pode ser particularmente grave e ocorre com maior frequência nas crianças entre os 3 e os 7 anos de idade. A doença costuma transmitir-se ao respirar microgotas transportadas pelo ar que contêm o vírus ou então através do contacto com objectos infectados.

Sintomas e diagnóstico

O crupe começa normalmente com sintomas semelhantes aos da constipação. A infecção inflama a membrana que reveste os canais respiratórios, pelo que estes se estreitam e torna-se difícil respirar. A dificuldade ao inspirar, juntamente com a tosse forte e a rouquidão, costuma manifestar-se primeiro à noite. A dificuldade em respirar pode acordar a criança. A respiração é acelerada e profunda e metade das crianças tem febre. O estado da criança pode melhorar pela manhã mas voltar a piorar à noite. A doença normalmente dura entre 3 e 4 dias. O crupe recorrente denomina-se crupe espasmódico. A alergia pode ser uma das causas do crupe espasmódico, mas normalmente começa com uma infecção viral. O médico reconhece o crupe pelos seus sintomas característicos.

Tratamento

A criança que contrai crupe ligeiro pode ser tratada em casa. É colocada numa posição cómoda, assegurando que ingere muitos líquidos, e proporciona-se-lhe descanso porque a fadiga e o choro podem piorar a doença. Os humidificadores de uso doméstico (por exemplo, vaporizadores de frio) podem reduzir a secura dos canais respiratórios superiores e facilitar a respiração. A humidade pode ser rapidamente aumentada deixando aberta a água quente do chuveiro para criar vapor no banho. No caso de a dificuldade respiratória aumentar ou se manter, a frequência cardíaca acelerar ou a pele adquirir uma cor azulada ou se desidratar, a criança deve ser hospitalizada.

Já no hospital, pode ser-lhe administrado oxigénio se os seus valores no sangue forem baixos. Se a concentração de anidrido carbónico no sangue for alta, significa que a criança está esgotada. Então, deve ser-lhe instaurada ventilação respiratória mecânica colocando um tubo nas vias respiratórias e bombeando ar para os pulmões mediante um aparelho concebido para tal fim.

Com um nebulizador que utiliza ultra-sons, diferente de um humidificador doméstico, podem produzir-se gotas suficientemente pequenas que cheguem às vias respiratórias inferiores e que reduzam a viscosidade das secreções. Deste modo, a tosse pode expulsar mais facilmente estas secreções das vias respiratórias.

Através de um nebulizador podem ser inalados medicamentos que dilatam as vias respiratórias, como a adrenalina. Estes medicamentos podem ser utilizados para facilitar a respiração da criança. Se a criança estiver hospitalizada, pode acontecer serem-lhe administrados corticosteróides para o tratamento precoce do crupe viral grave, mas existe grande controvérsia quanto ao uso destes fármacos. O uso de antibióticos limita-se àqueles casos raros em que uma criança com crupe também desenvolve uma infecção bacteriana.O crupe é uma infecção viral contagiosa dos canais respiratórios superiores que provoca dificuldade em respirar, sobretudo ao inspirar.

O crupe pode ser causado por muitos vírus diferentes. No Outono, o vírus parainfluenza é a causa mais provável. Com menor frequência, o crupe pode ser causado pelo vírus do sarampo ou por outros vírus, como o sincicial respiratório ou o da gripe, sobretudo durante o Inverno e a Primavera. O crupe afecta principalmente crianças entre os 6 meses e os 3 anos de idade, embora ocasionalmente afecte crianças mais pequenas ou as mais velhas. O crupe provocado pelo vírus da gripe pode ser particularmente grave e ocorre com maior frequência nas crianças entre os 3 e os 7 anos de idade. A doença costuma transmitir-se ao respirar microgotas transportadas pelo ar que contêm o vírus ou então através do contacto com objectos infectados.

Sintomas e diagnóstico

O crupe começa normalmente com sintomas semelhantes aos da constipação. A infecção inflama a membrana que reveste os canais respiratórios, pelo que estes se estreitam e torna-se difícil respirar. A dificuldade ao inspirar, juntamente com a tosse forte e a rouquidão, costuma manifestar-se primeiro à noite. A dificuldade em respirar pode acordar a criança. A respiração é acelerada e profunda e metade das crianças tem febre. O estado da criança pode melhorar pela manhã mas voltar a piorar à noite. A doença normalmente dura entre 3 e 4 dias. O crupe recorrente denomina-se crupe espasmódico. A alergia pode ser uma das causas do crupe espasmódico, mas normalmente começa com uma infecção viral. O médico reconhece o crupe pelos seus sintomas característicos.

Tratamento

A criança que contrai crupe ligeiro pode ser tratada em casa. É colocada numa posição cómoda, assegurando que ingere muitos líquidos, e proporciona-se-lhe descanso porque a fadiga e o choro podem piorar a doença. Os humidificadores de uso doméstico (por exemplo, vaporizadores de frio) podem reduzir a secura dos canais respiratórios superiores e facilitar a respiração. A humidade pode ser rapidamente aumentada deixando aberta a água quente do chuveiro para criar vapor no banho. No caso de a dificuldade respiratória aumentar ou se manter, a frequência cardíaca acelerar ou a pele adquirir uma cor azulada ou se desidratar, a criança deve ser hospitalizada.

Já no hospital, pode ser-lhe administrado oxigénio se os seus valores no sangue forem baixos. Se a concentração de anidrido carbónico no sangue for alta, significa que a criança está esgotada. Então, deve ser-lhe instaurada ventilação respiratória mecânica colocando um tubo nas vias respiratórias e bombeando ar para os pulmões mediante um aparelho concebido para tal fim.

Com um nebulizador que utiliza ultra-sons, diferente de um humidificador doméstico, podem produzir-se gotas suficientemente pequenas que cheguem às vias respiratórias inferiores e que reduzam a viscosidade das secreções. Deste modo, a tosse pode expulsar mais facilmente estas secreções das vias respiratórias.

Através de um nebulizador podem ser inalados medicamentos que dilatam as vias respiratórias, como a adrenalina. Estes medicamentos podem ser utilizados para facilitar a respiração da criança. Se a criança estiver hospitalizada, pode acontecer serem-lhe administrados corticosteróides para o tratamento precoce do crupe viral grave, mas existe grande controvérsia quanto ao uso destes fármacos. O uso de antibióticos limita-se àqueles casos raros em que uma criança com crupe também desenvolve uma infecção bacteriana.

Fonte: Manual Merck

Gostou o texto? Nos siga nas redes sociais: Instagram, Facebook e Twitter

Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui

Tenho indicações para você apofundar seus estudos em Cardiologia. Espia só:
  • Sistema Cardiovascular: anatomia e fisiologia
  • Curso de Eletrocardiograma Básico
  • Drive Virtual de Fisioterapia na Cardiologia
  • Curso Online de Fisioterapia Aplicada à Cardiologia


  • Poste um Comentário

    Tecnologia do Blogger.