4 exercícios de Fisioterapia para melhorar respiração no Idoso









Na terceira idade, é comum a redução da capacidade respiratória dos pulmões. O organismo enfraquecido por causa do envelhecimento, poluição, sedentarismo e tabagismo são fatores que podem facilitar a contração de algumas doenças pulmonares , como pneumonia, enfisema e bronquite crônica. Além disso, o aumento na rigidez da caixa torácica, perda de retração elástica dos pulmões, e diminuição significativa da força dos músculos respiratórios, levam há uma redução progressiva da função pulmonar em indivíduos idosos.

Uma forma de prevenir a menor incidência de contração de doenças respiratórias é a introdução de atividades fisicas na vida do idoso. Programas bem elaborados respeitando a fisiologia do idoso e a sua individualidade são capazes de melhorar a função respiratória.

Com a melhora da capacidade pulmonar, o idoso pode manter a rotina com qualidade de vida. Atividades do dia-a-dia, como subir escadas ou caminhar pelo bairro, podem ser executadas com maior conforto.

Além de atividade física com acompanhamento profissional, é necessário agregar alimentação adequada, tomar vacinação contra gripe, evitar o fumo e manter as áreas comuns ventiladas para evitar a contração de doenças pulmonares.

A fisioterapia respiratória é uma especialidade da Fisioterapia cujo objetivo é a prevenção e o tratamento de doenças que atingem o sistema respiratório, como a asma, a bronquite, a insuficiência respiratória e a tuberculose.

Os exercícios respiratórios pretendem melhorar o fluxo de oxigênio para todo o organismo. O objetivo é liberar as vias respiratórias das secreções que eventualmente a obstruam, aumentando a capacidade ventilatória do pulmão. Se achar necessário, o fisioterapeuta pode recorrer a aparelhos que fluidificam e facilitam a retirada das secreções, como o flutter e o nebulizador. Alguns exercícios incluem:

1. Respiração diafragmática

Talvez seja o mais importante do exercícios respiratórios. A respiração diafragmática tem esse nome porque expande o diafragma e leva o ar rico em oxigênio até o abdômen. É possível aumentar de forma significativa a capacidade volumétrica dos pulmões por meio dessa técnica.

Para realizá-la, você deve sentar-se em uma posição confortável, fechar os olhos, colocar a mão sobre a barriga e concentrar-se na respiração. Inspire pelo nariz e procure movimentar o abdômen - e não o tórax - ao fazê-lo. Retenha o ar por dois segundos e em seguida expire lentamente pela boca.

2. Respirando com os braços estendidos

Ao mesmo tempo em que inspira pelo nariz, levante os braços e mantenha-os estendidos. Ao expirar lentamente, abaixe os braços no mesmo ritmo. Se o movimento provocar tosse, não a reprima.

3. Ciclo ativo da respiração

Realizada em três fases: primeiramente, respirações predominantemente diafragmáticas; depois, inspirações profundas, com baixa velocidade; por fim, eliminação da secreção (que pode envolver equipamentos especiais).

4. Aceleração do fluxo expiratório

A técnica visa ao aumento da velocidade do fluxo expiratório, a fim de deslocar o muco preso no organismo. É realizada por meio de uma manobra especifica de compressão torácica, que fica a cargo do fisioterapeuta.
Gostou o texto? Nos siga nas redes sociais: Instagram, Facebook e Twitter

Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui

Tenho indicações para você apofundar seus estudos em Cardiologia. Espia só:
  • Sistema Cardiovascular: anatomia e fisiologia
  • Curso de Eletrocardiograma Básico
  • Drive Virtual de Fisioterapia na Cardiologia
  • Curso Online de Fisioterapia Aplicada à Cardiologia


  • Poste um Comentário

    Tecnologia do Blogger.