A Influência da Fisioterapia Respiratória em Gestantes








A fisioterapia respiratória proporciona uma influência significativa e positiva nas alterações fisiológicas e anatômicas provocados durante a gestação. Além de garantir segurança e conforto emocional à gestante.

Durante o período gestacional, as estruturas anatômicas sofrem diversas modificações, e essas modificações, devem ser levadas em conta ao realizar qualquer tipo de atividade física.

Devido o aumento uterino, o músculo diafragma fica pressionado dificultando a respiração. E com o aumento da barriga, é normal que a gestante passe a respirar com predomínio torácico, do que abdominal.

A cintura pélvica sofre um aumento da sua mobilidade articular, pois sofrem ação direta do hormônio da relaxina. Devido aumento da mobilidade, a gestante passa adotar a marcha anserina (andar de pata).

Com o aumento do útero, a cadeia muscular anterior passa por um processo de estiramento, deslocando o centro gravitacional da mulher, fazendo com que a cadeia muscular posterior fique sob tensão e estresse muscular constante. Essa ação pode ocasionar rotação nas vértebras e por conseguinte imobilizar os nervos.

Na gestação há um aumento do consumo de oxigênio, pois, além da mãe, o oxigênio também é absorvido pelo bebê, aumentando o cansaço da mãe. Há um aumento da capacidade inspiratória e uma queda na reserva expiratória, por isso, a gestante é orientada em soltar mais o ar, do que puxar, assim evita incômodos como dores de cabeça e tonturas.

A fisioterapia gestacional em conjunto as técnicas e conhecimentos da fisioterapia respiratória, abrangem objetivos importantes, como:

►  Melhora da ventilação alveolar

►  Otimização da complacência pulmonar

► Redução da resistência das vias aéreas

► Manutenção da integridade muscular respiratória.

 Fisioterapia Respiratória: Treino dos tipos de respiração adotados pela gestante

Respiração torácica:

Utiliza-se apenas para conscientização corporal. Deve ser intercalado com os outros tipos de respiração. Técnica: Inspirar pelo nariz, expandindo o tórax, e expirar lentamente pela boca, como se estivesse assoprando uma vela.

Respiração abdominal ou diafragmática:

É a respiração mais adequada, devido os seus efeitos gerados. Com a descida do diafragma, tem se o alívio das risões de ventre e a melhora da oxigenação sanguínea, provocando um relaxamento. Técnica: Inspiração gradual e profunda, pelo nariz, dilatando o abdômen e expira pela boca.

Respiração de bloqueio:

Só pode ser realizada a partir do 4º mês de gestação, até o início do 9º mês. Sendo interrompido a qualquer dilatação de colo e contrações esporádicas. Técnica: Inspiração profunda pelo nariz, juntamente com a respiração diafragmática,  flexionar o pescoço, trazendo o queixo próximo à região peitoral, e expandir e contrair o abdômen como se o ar fosse sair pela vagina.


Gostou o texto? Nos siga nas redes sociais: Instagram, Facebook e Twitter

Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui

Tenho indicações para você apofundar seus estudos em Cardiologia. Espia só:
  • Sistema Cardiovascular: anatomia e fisiologia
  • Curso de Eletrocardiograma Básico
  • Drive Virtual de Fisioterapia na Cardiologia
  • Curso Online de Fisioterapia Aplicada à Cardiologia


  • Poste um Comentário

    Tecnologia do Blogger.