Síndrome de insuficiência respiratória aguda







 https://imagens5.publico.pt/imagens.aspx/751665?tp=UH&db=IMAGENS

A síndrome de insuficiência respiratória aguda  é um tipo de insuficiência pulmonar provocada por diversas perturbações que causam a acumulação de líquido nos pulmões (edema pulmonar).

Quase todas as doenças que afetam a respiração ou os pulmões podem causar insuficiência respiratória. Um excesso do uso de narcóticos ou de álcool pode provocar um torpor tão profundo que a pessoa deixa de respirar, produzindo-se insuficiência respiratória. Outras causas frequentes são a obstrução das vias aéreas, as lesões do tecido pulmonar, as afecções dos ossos e dos tecidos que revestem os pulmões e a debilidade dos músculos que se encarregam da entrada de ar para os pulmões. A insuficiência respiratória pode produzir-se quando se altera a circulação sanguínea através dos pulmões, como acontece na embolia pulmonar. Esta perturbação não interrompe o movimento de saída e de chegada de ar aos pulmões; no entanto, sem o fluxo de sangue numa parte do pulmão, o oxigênio não se extrai adequadamente do ar e o anidrido carbônico não se transfere para o sangue. Outras causas que podem provocar o fluxo anormal de sangue e que podem provocar insuficiência respiratória são certas alterações congênitas da circulação que enviam o sangue diretamente para o resto do corpo sem passar primeiro pelos pulmões.

A síndrome da insuficiência respiratória aguda ocorre entre as 24 horas e as 48 horas depois de ter acontecido a lesão original ou a doença. O doente sente no início falta de ar, geralmente com uma respiração rápida e pouco profunda. O médico pode ouvir sons crepitantes ou sibilantes nos pulmões com um estetoscópio. A pele pode aparecer manchada ou azulada devido à baixa concentração de oxigênio no sangue e a função de outros órgãos como o coração e o cérebro pode ser afetada.

A falta de oxigênio causada por esta síndrome pode produzir complicações noutros órgãos pouco tempo depois do início da doença ou, se a situação do doente não melhorar, ao fim de dias ou de semanas. A carência prolongada de oxigênio pode causar complicações tão graves como a insuficiência renal. Sem um tratamento imediato, a falta grave de oxigênio provocada por esta síndrome causa a morte em 90 % dos casos. No entanto, com tratamento adequado podem sobreviver cerca de 50 % das pessoas que sofrem da síndrome de insuficiência respiratória.

As pessoas que sofrem desta síndrome recebem tratamento na unidade de cuidados intensivos. A administração de oxigênio é fundamental para corrigir os valores baixos do mesmo. Quando o oxigênio fornecido com uma máscara não é suficiente, deve usar-se um ventilador mecânico. Este aparelho fornece oxigênio à pressão através de um tubo inserido no nariz, na boca ou na traqueia: essa pressão ajuda a forçar a passagem de oxigênio para o sangue.


Gostou o texto? Nos siga nas redes sociais: Instagram, Facebook e Twitter

Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui

Tenho indicações para você apofundar seus estudos em Cardiologia. Espia só:
  • Sistema Cardiovascular: anatomia e fisiologia
  • Curso de Eletrocardiograma Básico
  • Drive Virtual de Fisioterapia na Cardiologia
  • Curso Online de Fisioterapia Aplicada à Cardiologia


  • Poste um Comentário

    Tecnologia do Blogger.