Saiba mais sobre a manobra Bag Squeenzing


>






A Terapia de Higiene Brônquica (THB) é um conjunto de intervenções fisioterapêuticas que visam favorecer a depuração de secreções das vias aéreas. Paciente em ventilação mecânica (VM),frequentemente, evolui com retenção de secreção pulmonar, agravado pela presença da via aérea artificial e o uso de altos fluxos inspiratórios, os quais comprometem a depuração mucociliar.

A ventilação, com elevadas concentrações de oxigênio e o uso de agentes paralisantes, também, são fatores que expõem o paciente ventilado à retenção anômala de secreção. Tanto a retenção de secreção nas vias aéreas como a produção excessiva desta na presença de agentes biológicos agressores leva ao aumento da resistência das vias áreas, justificado pelo preenchimento da luz brônquica, ocasionando esforço muscular compensatório a tal alteração da
impedância pulmonar. Se os músculos respiratórios não estiverem aptos à mudança de impedância pulmonar, condições como hipoventilação e fadiga muscular podem agravar o quadro. A má gestão da clearance das vias aéreas dificulta o desmame ventilatório, podendo elevar o tempo de Ventilação Mecânica.

O fisioterapeuta tem papel fundamental na assistência deste perfil de paciente crítico. Dentre as técnicas de THB mais citadas na literatura, destacamos a drenagem postural, tapotagem, vibração e compressão torácica, conhecidas como Fisioterapia Convencional (FC), a qual se utiliza das mãos como fonte geradora de ondas mecânicas.

Outro grupo terapêutico se apropria do uso de pressão positiva, com o intuito de descolar secreção,de distal para proximal, facilitando a sua remoção das vias aéreas, quase sempre realizada por aspiração traqueal. É conhecido que a aspiração tem potencial adverso, dado o risco de hipoxemia, de colabamento de unidades alveolares, arritmias e lesões da mucosa. 

Um recurso fisioterapêutico que pode ser utilizado para pacientes que cursam com quadro de hipersecreção pulmonar e tampões mucosos, e que estejam necessitando da utilização de ventilação artificial, por meio de um aparelho de ventilação mecânica invasiva é a manobra Bag Squeenzing.

Essa manobra consiste na utilização de uma bolsa de hiperinsuflação pulmonar (ambu) e das técnicas de vibração e compressão torácica. É feita em paciente sob ventilação mecânica. Dois fisioterapeutas poderão atuar conjuntamente: o primeiro administrará um volume gasoso com a bolsa, maior que o volume corrente utilizado pelo suposto paciente, se possível, chegando próximo ao limite da capacidade pulmonar total; e o segundo sincronizará a manobra de vibrocompressão após a hiperinsuflação. Deve ser feito de forma rápida em três ciclos seguidos e ao final deles o um dos fisioterapeutas faz a vibrocompressão. Promoverá, portanto, a aceleração do fluxo expiratório gerando, com isso, fluxo turbulento e estimulando o mecanismo de tosse, o que facilitará o deslocamento das secreções impactadas na periferia pulmonar, trazendo-as mais próximo das vias aéreas superiores onde serão mais facilmente eliminadas. Na presença de secreções espessas, recomenda-se a instilação prévia de soro fisiológico em quantidades adequadas antes da insuflação do pulmão.

Essa manobra está contraindicada nos casos de instabilidade hemodinâmica, hipertensão intracraniana, hemorragia peri-intraventricular grave, osteopenia da prematuridade, distúrbios hemorrágicos e graus acentuados de refluxo gastroesofágico.

Se você quiser saber mais sobre o trabalho do Fisioterapia Hospitalar, recomendo o ebook Fisioterapia Hospitalar Completa. Tem um ótimo conteúdo e um custo benefício excelente. Clique aqui e saiba mais!

  • Kit 3 em 1: ebooks de fisioterapia hospitalar, testes ortopédicos e exercícios funcionais por R$ 39,90
  • Cursos e Ebooks de Fisioterapia
  • Drive Virtual com artigos Científicos

  • Saiba mais sobre a manobra Bag Squeenzing Saiba mais sobre a manobra Bag Squeenzing Revisado by Faça Fisioterapia on 04:12 Nota: 5